Rádio Supersônica -A Música Sem Limites.

menu x
menu x

NOTÍCIAS

Grammy Latino, o que rolou…

A elegância e a voz poética de Jorge Drexler brilhou nesta quinta-feira (15) na 19ª cerimônia do Grammy Latino, onde o uruguaio levou três prêmios, inclusive os de Canção e Gravação do Ano, e na qual a espanhola Rosalía confirmou com dois prêmios a repercussão internacional de suas músicas.

O fino elogio às novas tecnologias de “Telefonía” deu a Drexler, estabelecido na Espanha há mais de duas décadas, os fonógrafos de Canção e Gravação do Ano, enquanto seu disco “Salvavidas de Hielo” completou o “hat-trick” com o prêmio de Melhor Álbum de Cantor-Compositor.

“Eu já não sei o que dizer, queridos amigos”, disse o cantor uruguaio visivelmente emocionado e surpreso sobre o palco do MGM Grand Garden Arena.

Drexler lembrou com carinho da sua família (“Me aguentam em tantas coisas, tantas horas fora…”) e do falecido produtor e engenheiro Ernesto ‘Nieto’ García, que gravou seu disco “Salvavidas de Hielo”.

“Que viva a Ibero-América, que viva a música ibero-americana, que viva Borges, que viva Pessoa, que viva a cumbia, que viva o reggaeton, tudo. Vamos em frente”, destacou o uruguaio.

Depois de Drexler, Chico Buarque, Rosalía, o mexicano Luis Miguel, o porto-riquenho Víctor Manuelle e a argentina Claudia Montero formaram o grupo de artistas que foram reconhecidos duas vezes pelo Grammy Latino esta noite.

A fusão de flamengo e gênero urbano de Rosalía, uma das sensações da temporada, levou os prêmios de Melhor Canção Alternativa e Melhor Fusão/Interpretação Urbana, ambas por “Malamente”,

“Obrigado a todas as mulheres da indústria que me mostraram que é possível, porque graças a elas estou aqui”, afirmou a jovem após mencionar grandes figuras como Lauryn Hill, Björk e Kate Bush.

Por sua vez, Luis Miguel surpreendeu ao levar o prêmio de Álbum do Ano com “México por Siempre”, embora o público da cerimônia não tenha escondido sua decepção pela ausência do cantor no evento.

Sua compatriota Thalía, que tinha anunciado o ganhador desta categoria no palco, garantiu que levaria ao cantor o fonógrafo dourado.

Apesar de ter partido como grande favorito com oito indicações, o astro colombiano J Balvin teve que se conformar com um só fonógrafo dourado: o de Melhor Álbum de Música Urbana por “Vibras”.

“Obrigado a todos os que estão representando este gênero, que lutamos tanto, que às vezes foi um pouco discriminado, mas aqui seguimos lutando e demonstrando que há gente com muito talento”, afirmou Balvin.

“Avaliem o novo sangue que vem porque somos o futuro da música. É hora de criar novas lendas”, completou.

A parte musical do evento foi aberta com apresentação de Marc Anthony, Will Smith e Bad Bunny, que deram o tiro de largada com a bilíngue “Está rico”.

Outras atuações aguardadas pelo público foram de Natalia Lafourcade, Carlos Vives, Kany García e da banda Maná, reconhecida com o prêmio de Personalidade do Ano 2018 e que interpretou as canções “En el muelle de San Blas”, “Labios compartidos” e “Clavado en un bar”.

Brasileiros

Com os prêmios de melhor álbum de música popular brasileira e melhor canção em língua portuguesa, Chico Buarque foi o destaque entre os artistas brasileiros.

Chico também concorria ao prêmio de álbum do ano no evento principal. O vencedor na categoria, contudo, foi o mexicano Luis Miguel, com o disco “México por Siempre”.

A prévia do Grammy Latino entrega 38 prêmios de diferentes categorias, entre elas as oito que são destinas especificamente para artistas brasileiros.

Veteranos como Chitãozinho e Xororó, Maria Rita e Lenine; e novatos como a gaúcha Anaadi, também tiveram seus trabalhos reconhecidos pela Academia Latina da Gravação.

Prêmios brasileiros

  • Melhor Álbum Cristão em Língua Portuguesa: “Som Da Minha Vida”, Fernanda Brum
  • Melhor Álbum de Raízes em Língua Portuguesa: “+AR”, Almir Sater & Renato Teixeira
  • Melhor Álbum de Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa: “Noturno”, Anaadi
  • Melhor Álbum de Rock ou Música Alternativa em Língua Portuguesa: “Lenine Em Trânsito”, Lenine
  • Melhor Álbum de Música Popular Brasileira: “Caravanas”, Chico Buarque
  • Melhor Álbum de Música Sertaneja: “Elas Em Evidências”, Chitãozinho & Xororó
  • Melhor Álbum de Samba/Pagode em Língua Portuguesa: “Amor E Música”, Maria Rita
  • Melhor Canção em Língua Portuguesa: “Caravanas”, Chico Buarque

NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

shares