Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Gibson pede falência

gibsonguitars

A empresa de guitarras Gibson Brands, entrou com pedido de proteção contra falência nos Estados Unidos, enquanto a empresa enfrenta uma dívida estimada em US $ 500 milhões.

Como resultado, a empresa sediada em Nashville anunciou planos de reestruturação que permitirão que eles reduzam seus negócios de áudio e entretenimento doméstico e se concentrem em instrumentos musicais.

A Music Radar informou que os planos de reestruturação darão aos credores a mesma propriedade de uma nova empresa e substituirão os atuais acionistas, incluindo o CEO Henry Juszkiewicz, que permanecerá em posição durante a mudança de controle.

Uma declaração diz: “Gibson surgirá do Capítulo 11 com financiamento de capital de giro, menos dívida e uma plataforma mais focada em instrumentos musicais que permitirá que a empresa e todos os seus funcionários, fornecedores, clientes e outras partes interessadas tenham sucesso ”

Juszkiewicz acrescenta: “Ao longo dos últimos 12 meses, fizemos avanços substanciais através de uma reestruturação operacional. Vendemos marcas não essenciais, aumentamos os lucros e reduzimos as demandas de capital de giro.

“A decisão de voltar a focar no nosso core business, instrumentos musicais, combinada com o apoio significativo dos nossos detentores de notas, acreditamos que irá assegurar a estabilidade financeira e a estabilidade financeira da empresa a longo prazo.

“É importante ressaltar que esse processo será praticamente invisível para os clientes, e todos podem continuar confiando na Gibson para fornecer produtos e atendimento ao cliente inigualáveis”.

Um juiz federal terá que aprovar os planos, com relatórios indicando que 69% dos credores garantidos da empresa apóiam o movimento.

As icônicas guitarras de Gibson têm sido usadas por artistas como Slash, Jimmy Page, BB King, Dave Grohl, Angus Young, Joe Bonamassa, Sylvain Sylvain e Johnny Thunders.

Deixe seu comentário:

Curta no social

Menu

Curta a Super no Face

Redes sociais

CONFERE AÍ: